Turismo em Hora de Expediente

Serra do Soajo
Serra do Soajo

Em Arcos de Valdevez, turista que queira ser atendido, tem que chegar em horário de expediente!

Alguém que chega aos Arcos, à hora de almoço ou depois das 6 da tarde, não pode ir ao posto de turismo à procura de informações. É verdade que não temos museus, mas a Porta do Mezio seria um bom ponto de partida, se lá chegar entre as nove e as seis e não for hora de almoço! De resto, está encerrada!

Um dos problemas é que, em Arcos de Valdevez, não se procura pessoal para os lugares, mas lugares para o pessoal e por isso, os horários tem que ser convenientes.

Arcos de Valdevez tem uma natureza maravilhosa, soubessem os nossos dirigentes municipais tirar partido disso, seriamos uma referência turística. Não sabem e/ou não querem  e não aceitam as ideias de quem sabe e quer fazer mais e melhor.

Álvaro Amorim

Um lugar esquecido…

As margens do Rio Vez estão pouco valorizadas em termos turísticos. E lugares como o “nosso” piolho são pouco divulgadas! Vale a pena apreciar…

Para quem não conhece a localização:

Ponte de Vilela

A Ponte de Vilela é um monumento classificado desde 1990 (Classificado como IIP – Imóvel de Interesse Público), pelo IGESPAR.

Um local, como muitos em Arcos de Valdevez, de passagem obrigatória!

AA

Esta é a nossa terra!

Não há palavras para a descrever, por isso, um milhão de imagens!

Nós temos…

Bandeira azul nas praias fluviais

Rio Vez, praia da Valeta
Rio Vez, praia da Valeta

É unanimemente reconhecido que Arcos de Valdevez tem condições naturais para rivalizar em termos turísticos com qualquer lugar do país. Essa potencialidade pode ser uma enorme fonte de riqueza para o concelho.

Vem isto a propósito da atribuição da distinção “Bandeira Azul” às praias portuguesas, quase 300 no total das quais 14 são praias fluviais.

O jornal Público tem um óptima infografia sobre o assunto “Bandeira Azul“.

Com o Rio Vez a correr quase exclusivamente no concelho de Arcos de Valdevez e com tantos lugares aprazíveis que se enchem no verão de banhistas, é inacreditável como a câmara municipal ainda não conseguiu criar uma praia fluvial que, cumprindo os critérios do galardão, pudesse exibir uma bandeira azul durante o Verão.

A praia fluvial da Valeta tem todas as condições para, com as devidas adequações, poder exibir uma “Bandeira Azul”! Infelizmente, o nosso executivo, em vez de investir no Rio Vez e criar uma praia fluvial que fosse atractiva para turistas que podiam trazer riqueza, apostou numa piscina exterior, que municípios que não tem recursos naturais como Arcos de Valdevez, são obrigados a construir.

Como amante do Rio Vez, sonho com o dia em que a praia da Valeta seja uma praia fluvial com as condições adequadas aos banhistas.

AA

Parque Urbano do Paço de Giela

A Câmara Municipal de Arcos de Valdevez apresentou publicamente os projectos para a requalificação da zona envolvente ao Paço de Giela.

Este importante património nacional, há muito que está à espera de uma intervenção. Infelizmente, tal como a casa de requeijo, continua sem uma utilização digna e promotora do concelho. Quando havia fundos estruturais em abundância e com financiamento a 100%, nada de fez, agora, além de mais oneroso para nós, os financiamentos também podem impedir uma solução final. Aguardemos…

A exposição dos projectos encontra-se aberta ao público no Parque de Exposições e deve ser visitada.

Pelo que vi, foram apresentadas algumas propostas interessantes, se bem que, eu pegava em algumas ideias de vários projectos, e utilizava-as.

O projecto vencedor parece-me interessante, mas não seria a minha primeira escolha. No entanto, parece-me equilibrado e bem integrado. O anfiteatro parece-me pouco versátil. O Hotel, é moderno, mas parece bem integrado.

Gostei especialmente da proposta de um dos projectos, em relação a um percurso cultural com o tema do Padre Himalaia.

No entanto, há algumas questões que se levantam. Primeiro, se o actual hotel em construção for algum dia acabado, ficamos com duas estruturas hoteleiras. Será que se justifica? Não conheço os estudos, mas é certo que nesta zona, a aposta em turismo de massas não será o mais indicado, pelo que a aposta em pequenas unidades de turismo rural continua a ser a vertente mais interessante.

Nos projectos, nada é apresentado para o Paço de Giela em si… será que continuará a ruína, e fica apenas como postal de visita? Como disse atrás, o Paço, assim como a casa de requeijo, deveriam ser os principais pólos de atração, pois hotéis e picadeiros há muitos pelo pais…!

AA