40 Anos de Poder Local Democrático

placa_armasEm 12 de Dezembro de 1976 realizaram-se as primeiras eleições democráticas para as autarquias locais.

A Assembleia Municipal de Arcos de Valdevez não se esquece da data e resolveu realizar uma assembleia comemorativa da data.

placa_nomes
Placa evocativa dos autarcas eleitos em 1976 e em 2013

Assim, no dia 12 de Dezembro de 2016, realizou-se uma reunião da Assembleia Municipal comemorativa, para a qual foram convidados os autarcas eleitos naquele primeiro acto eleitoral democrático para as autarquias locais.

Foi convidado o Ministro Adjunto do Primeiro Ministro, Dr. Eduardo Cabrita, com a pasta das das Autarquias Locais, que presidiu à reunião, assim como o Professor Doutor Jorge Alves, que fez uma dissertação sobre o poder local.

Também estiveram representadas a maioria das entidades municipais, desde as forças de segurança e proteção civil até às diferentes associações culturais e desportivas. De forra do concelho, vieram os deputados da Assembleia da República eleitos pelo Distrito de Viana do Castelo, os presidentes das Assembleias Municipais dos concelhos vizinhos e respectivos presidentes da câmara assim como os presidentes da CIM-Alto Minho e IPVC.

Para assinalar a data, também foi descerrada uma medalha_frenteplaca evocativa onde constam todos os eleitos para a Assembleia Municipal, Câmara Municipal e Presidência da Junta de Freguesia em 1976 e 2013. A placa ficou exposta na entrada da Casa das Artes.

Para completar, foi cunhada uma medalha evocativa a data, que foi entregue aos convidados e aos autarcas presentes eleitos em 1976 e 2013.

Julgo que foi uma acção bem sucedida, medalha_facenomeadamente na homenagem aos autarcas de 1976 que ainda se encontram entre nós e que ajudaram a implementar no concelho a democracia recentemente conseguida, através da revolução de 25 de Abril e da sua consolidação no 25 de Novembro.

Álvaro Amorim

Anúncios

Ainda a distribuição de pelouros…

Pelourinho, Arcos de Valdevez
Pelourinho, Arcos de Valdevez

O PSD, na edição do Notícias dos Arcos de 7 de Novembro, criticava a oposição por não aceitar os pelouros que “generosamente” lhe tinha oferecido. Esses pelouros eram de tal importância que  no seu comunicado o PSD assume que: “considerando a relevância das matérias”, assume diretamente os pelouros declinados pelos três vereadores da oposição.”

O curioso é que, consultando a página da CMAV, nenhum desses pelouros aparece aí referenciado!

Espero que, de futuro, quando quiserem a cooperação da oposição apresentem propostas aceitáveis e não o façam apenas como provocação! Essa seria a atitude de quem põe Arcos de Valdevez à frente de interesses particulares!

AA

Agora é a vez das pessoas…

Sistelo, PadrãoNo acto de instalação dos órgãos autárquicos, no passado dia 16 de Outubro, algumas frases ficaram a tilintar nos nossos tímpanos!

Uma delas, durante o discurso do recém empossado presidente da câmara, foi qualquer coisa como: agora é a vez de nos dedicarmos às pessoas!

Finalmente, alguém dos que governam a câmara municipal há 37 anos, reconhece que as políticas implementadas não foram para dar melhores condições aos arcuenses! 

Desde já deixo o compromisso de, se houver essa alteração nas políticas, o meu apoio estar garantido. Também nesse sentido foram as palavras da Drª Carolina na sua intervenção. Se houver políticas voltadas para a criação de emprego, da valorização e Arcos de Valdevez, através do comércio, turismo, agricultura ou outras,  estaremos cá para dar o nosso apoio.

Fiquei no entanto preocupado com as palavras da líder da bancada do PSD, quando afirmou que queria o apoio da oposição mesmo quando fossem propostas medidas difíceis para a população! 

Espero que não estejam já a preparar o aumento dos impostos (IMI e IMT e outros) e das taxas municipais. Espero sinceramente que não nos dêem razão quando dissemos que a baixa parcial do IMI, que se vangloriaram de fazer, não seja só para ano de eleições! Gostávamos que fosse mais baixa, o valor mínimo, mas já que somos os únicos a defender ano após ano essa proposta, nunca é aprovada. Espero que, pelo menos, não a voltem a subir… mas, infelizmente, nestes meios já nada  me surpreende!

AA

Nota: imagem do lugar de Padrão, Sistelo!

Dever cumprido

Pelourinho, Arcos de Valdevez
Pelourinho, Arcos de Valdevez

Depois de há 4 anos o CDS-PP ter conseguido eleger 4 deputados municipais, os objectivos para estas eleições eram claras: melhorar os resultados.

Atendendo que há menos deputados eleitos, fruto da fusão das juntas de freguesia, para manter os 4 deputados, o CDS-PP teria forçosamente que conseguir mais votantes. E isso, aconteceu, mantendo não só os 4 da última legislatura, mas elegendo mais 2. Assim, foram eleitos 6 deputados municipais,  que resultará em bastante mais tempo de intervenção nas Assembleias Municipais.

No entanto, havia um objectivo que era prioritário: a eleição de pelo menos um vereador! E esse objectivo também foi conseguido, através de uma quase duplicação dos votos. O Engenheiro Fernando Fonseca será com certeza uma voz activa na vereação e defenderá com todas as forças o rigor financeiro e as medidas que promovam a agricultura, o turismo e o comércio, entre outras.

Relativamente às freguesias, o CDS-PP conseguiu eleger 13 autarcas, estando ainda 2 freguesias por decidir. Relativamente às minhas Távoras, o resultado foi abaixo do esperado, mas eu sempre assumi que o objectivo principal era a eleição de um vereador. Mas, reconheço que o meu estilo de campanha não é a indicada para uma freguesia como Távora (Santa Maria e S. Vicente). Um candidato que não prometa o que não pode cumprir, nunca terá hipóteses de ter votações significativas! Até porque depois não se poderia dizer que não cumpre o que promete…

Ainda há duas freguesias que as listas do CDS-PP podem ganhar! Se a justiça for feita, a Ana e o Mário serão respectivamente presidentes das juntas de Sistelo e Vale. O trabalho deles, juntamente com os elementos das suas listas, foi fantástico.

Para terminar, custa-me ouvir, em diversos locais, por inúmeras pessoas, que a nossa campanha foi a melhor, a mais correcta e a que mostrou mais trabalho, constituída por gente mais competente… e no fim termos menos votos que quem não demonstra mais trabalho e mais competência! Por alguma razão o poder local e, também, o país, estão como estão. Não vence quem tem mais mérito, vence quem mais promete e…!

A todos os que confiaram em mim e também nas nossas equipas, o muito obrigado!

E, já agora para terminarmos, deixo a beleza da nossa terra… que nos acompanha sempre!

Álvaro Amorim

A política, no Notícias dos Arcos

Arcos de Valdevez, Ponte centenária
Arcos de Valdevez, Ponte centenária

Ao ler o Editorial do “nosso” Notícias dos Arcos, não posso, de uma forma geral deixar de concordar com o que é dito, sobretudo com a parte em que “quando entram diretamente na política “…“sem nunca ter tido profissão ou caminho fora dela”…”

Ao ler isto, lembrei-me de um texto do nosso Presidente da Assembleia Municipal, que falava de “reciclagem de políticos antigos”! Para quem estaria o Sr. Presidente a falar? Quem, nestas eleições está a ser reciclado?

Quem, abandonado o cargo de vereador, andou 4 anos por cargos de nomeação em que, quem nomeava, era um presidente de câmara?

Neste contexto, o CDS-PP de Arcos de Valdevez só pode orgulhar-se do seu percurso. Todos nós temos uma carreira, antes da política, de que nos podemos orgulhar, em diferentes áreas, quer na advocacia, na engenharia ou como professores. É certo que conseguimos um cargo, que muito nos orgulha, a nível do  Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, um dos ministérios que até tem feito melhor trabalho. Basta olhar para a taxa de execução dos fundos europeus e comparar com os governos anteriores… Mas isso, também foi conseguido pelo reconhecimento da competência da pessoa convidada, que antes tinha uma carreira irrepreensível no domínio do direito.

Assim, quando nos apresentarmos nas próximas eleições autárquicas, será com o crédito de 4 anos de defesa dos nossos princípios e a certeza de que defenderemos nos próximos 4 anos, com as as armas que os arcuenses nos derem, o nosso programa de desenvolvimento para Arcos de Valdevez, muito diferente, como foi evidente, do propostos pelos outros partidos arcuenses.

AA

O dia D para Portugal

Candidatos do CDS-PP, no Mercado Municipal de Arcos de Valdevez

No próximo dia 5 de Junho, Portugal vai a votos.

Para Portugal, pode ser o dia D! O dia da viragem, rumo a um futuro com alguma esperança.

O próximo governo, sairá da combinação de dois ou três partidos. Os cenários são vários. Dois bastante remotos: o CDS ganhar e o PS ganhar. O primeiro, seria mesmo uma revolução em Portugal, infelizmente o Homem tem medo da mudança, e só em situações extremos segue esta via. A própria evolução das espécies segue este padrão, longos períodos relativamente calmos e pequenos períodos de grande mudança. O segundo, se acontecer, só tem viabilidade se o Sr. Pinto de Sousa abandonar, porque não sendo uma pessoa de confiança, ninguém governará com ele. O terceiro cenário é o mais certo: O PSD ganhar, sem maioria absoluta, e fazer governo com o CDS. Mas aqui, o dia D de portugal será maior, quanto mais influência o CDS tiver nas políticas do país…

O que podem fazer os Arcuenses, e de uma forma mais alargada, todos os alto-minhotos. Continue reading “O dia D para Portugal”