40 Anos de Poder Local Democrático

placa_armasEm 12 de Dezembro de 1976 realizaram-se as primeiras eleições democráticas para as autarquias locais.

A Assembleia Municipal de Arcos de Valdevez não se esquece da data e resolveu realizar uma assembleia comemorativa da data.

placa_nomes
Placa evocativa dos autarcas eleitos em 1976 e em 2013

Assim, no dia 12 de Dezembro de 2016, realizou-se uma reunião da Assembleia Municipal comemorativa, para a qual foram convidados os autarcas eleitos naquele primeiro acto eleitoral democrático para as autarquias locais.

Foi convidado o Ministro Adjunto do Primeiro Ministro, Dr. Eduardo Cabrita, com a pasta das das Autarquias Locais, que presidiu à reunião, assim como o Professor Doutor Jorge Alves, que fez uma dissertação sobre o poder local.

Também estiveram representadas a maioria das entidades municipais, desde as forças de segurança e proteção civil até às diferentes associações culturais e desportivas. De forra do concelho, vieram os deputados da Assembleia da República eleitos pelo Distrito de Viana do Castelo, os presidentes das Assembleias Municipais dos concelhos vizinhos e respectivos presidentes da câmara assim como os presidentes da CIM-Alto Minho e IPVC.

Para assinalar a data, também foi descerrada uma medalha_frenteplaca evocativa onde constam todos os eleitos para a Assembleia Municipal, Câmara Municipal e Presidência da Junta de Freguesia em 1976 e 2013. A placa ficou exposta na entrada da Casa das Artes.

Para completar, foi cunhada uma medalha evocativa a data, que foi entregue aos convidados e aos autarcas presentes eleitos em 1976 e 2013.

Julgo que foi uma acção bem sucedida, medalha_facenomeadamente na homenagem aos autarcas de 1976 que ainda se encontram entre nós e que ajudaram a implementar no concelho a democracia recentemente conseguida, através da revolução de 25 de Abril e da sua consolidação no 25 de Novembro.

Álvaro Amorim

Agora é a vez das pessoas…

Sistelo, PadrãoNo acto de instalação dos órgãos autárquicos, no passado dia 16 de Outubro, algumas frases ficaram a tilintar nos nossos tímpanos!

Uma delas, durante o discurso do recém empossado presidente da câmara, foi qualquer coisa como: agora é a vez de nos dedicarmos às pessoas!

Finalmente, alguém dos que governam a câmara municipal há 37 anos, reconhece que as políticas implementadas não foram para dar melhores condições aos arcuenses! 

Desde já deixo o compromisso de, se houver essa alteração nas políticas, o meu apoio estar garantido. Também nesse sentido foram as palavras da Drª Carolina na sua intervenção. Se houver políticas voltadas para a criação de emprego, da valorização e Arcos de Valdevez, através do comércio, turismo, agricultura ou outras,  estaremos cá para dar o nosso apoio.

Fiquei no entanto preocupado com as palavras da líder da bancada do PSD, quando afirmou que queria o apoio da oposição mesmo quando fossem propostas medidas difíceis para a população! 

Espero que não estejam já a preparar o aumento dos impostos (IMI e IMT e outros) e das taxas municipais. Espero sinceramente que não nos dêem razão quando dissemos que a baixa parcial do IMI, que se vangloriaram de fazer, não seja só para ano de eleições! Gostávamos que fosse mais baixa, o valor mínimo, mas já que somos os únicos a defender ano após ano essa proposta, nunca é aprovada. Espero que, pelo menos, não a voltem a subir… mas, infelizmente, nestes meios já nada  me surpreende!

AA

Nota: imagem do lugar de Padrão, Sistelo!

Dever cumprido

Pelourinho, Arcos de Valdevez
Pelourinho, Arcos de Valdevez

Depois de há 4 anos o CDS-PP ter conseguido eleger 4 deputados municipais, os objectivos para estas eleições eram claras: melhorar os resultados.

Atendendo que há menos deputados eleitos, fruto da fusão das juntas de freguesia, para manter os 4 deputados, o CDS-PP teria forçosamente que conseguir mais votantes. E isso, aconteceu, mantendo não só os 4 da última legislatura, mas elegendo mais 2. Assim, foram eleitos 6 deputados municipais,  que resultará em bastante mais tempo de intervenção nas Assembleias Municipais.

No entanto, havia um objectivo que era prioritário: a eleição de pelo menos um vereador! E esse objectivo também foi conseguido, através de uma quase duplicação dos votos. O Engenheiro Fernando Fonseca será com certeza uma voz activa na vereação e defenderá com todas as forças o rigor financeiro e as medidas que promovam a agricultura, o turismo e o comércio, entre outras.

Relativamente às freguesias, o CDS-PP conseguiu eleger 13 autarcas, estando ainda 2 freguesias por decidir. Relativamente às minhas Távoras, o resultado foi abaixo do esperado, mas eu sempre assumi que o objectivo principal era a eleição de um vereador. Mas, reconheço que o meu estilo de campanha não é a indicada para uma freguesia como Távora (Santa Maria e S. Vicente). Um candidato que não prometa o que não pode cumprir, nunca terá hipóteses de ter votações significativas! Até porque depois não se poderia dizer que não cumpre o que promete…

Ainda há duas freguesias que as listas do CDS-PP podem ganhar! Se a justiça for feita, a Ana e o Mário serão respectivamente presidentes das juntas de Sistelo e Vale. O trabalho deles, juntamente com os elementos das suas listas, foi fantástico.

Para terminar, custa-me ouvir, em diversos locais, por inúmeras pessoas, que a nossa campanha foi a melhor, a mais correcta e a que mostrou mais trabalho, constituída por gente mais competente… e no fim termos menos votos que quem não demonstra mais trabalho e mais competência! Por alguma razão o poder local e, também, o país, estão como estão. Não vence quem tem mais mérito, vence quem mais promete e…!

A todos os que confiaram em mim e também nas nossas equipas, o muito obrigado!

E, já agora para terminarmos, deixo a beleza da nossa terra… que nos acompanha sempre!

Álvaro Amorim

Dia de reflexão

Estamos neste Sábado, 28 de Setembro, em dia de reflexão.

Os últimos 2 meses e meio foram praticamente dedicados a estas eleições autárquicas.

Mas as últimas duas semanas foram mesmo de exaustão. Procurei, junto com os meus parceiros, dar o melhor. E fizemos sempre aquilo que achamos que seria melhor. Não sei, naturalmente, qual vai ser o resultado no domingo das eleições. Mas seja ele qual for, sinto que fiz o meu dever. Nunca ninguém me poderá dizer, quando criticar o estados das coisas, que nunca as tentei mudar. E isso, aplica-se a todos nós que dedicadamente percorremos o concelho, apresentando as nossas ideias, as nossas formas de estar e, sobretudo, as soluções que julgamos ser as mais certas para a nossa terra!

Há, ainda um outro aspecto muito importante, no fim destas semanas! São as pessoas com quem colaborei! Pessoas boas, trabalhadoras que espero que tenham muito sucesso. Escrevi aqui há tempos que o melhor dos arcos  são as pessoas, mas estas, são mesmo do melhor que há.

Não posso deixar de referir as horas de trabalho com Mário. Apesar de, por vezes, ser resmungão, foi mesmo um prazer trabalhar com ele. Foi ele que, há 4 anos, me desafiou para este projecto, na altura nem o conhecia. É hoje, com certeza, mais que um parceiro, um amigo.

Seria de facto bom que nós tivéssemos mais força neste município, mas isso cabe aos arcuenses decidir. Pela minha parte, fiz tudo que estava ao meu alcance. Estou convicto que, atendendo à realidade do concelho e à nossa disponibilidade financeira, seria muito difícil fazer melhor.

Para todos, um bem haja e um muito obrigado

Álvaro Amorim

Deixo aqui fotos de alguns lugares maravilhosos por onde passei!

Um novo passo…

ListasHá 4 anos, o Mário Ventura convidou-me para um novo projecto, para dar voz um imenso grupo de arcuenses que queriam uma verdadeira alternativa nos órgão autárquicos!

Na altura, foi uma surpresa minha o lugar  que me  propuseram e a minha eleição para a Assembleia Municipal. Estive presente em quase todas as reuniões da Assembleia Municipal. Apesar  de o presidente da mesa da Assembleia Municipal tentar marcar as reuniões deste órgão para alturas que dificultavam a minha presença, só não pude estar presente numa delas, com muita pena minha.

O Mandato está a acabar e dia 29 de Setembro haverá novas eleições. Por isso, foi necessário trabalhar no sentido de apresentar candidaturas nas freguesias e uniões de freguesias que fosse possível.

É um trabalho difícil, em Arcos de Valdevez, um partido com a estrutura do CDS constituir listas. Vimos outros, com aparente maior dimensão, a fazer acusações de terrorismo! Nós, limitamo-nos a ir para o terreno e, após alguns avanços, recuos e algumas desistências, conseguimos fechar as listas para 12 freguesias ou uniões de freguesias. Algumas pessoas contactadas diziam: “Se tivessem vindo mais cedo…” Mas, o curioso, é que situações acertadas há vários meses foram por água abaixo e listas constituídas nas últimas semanas revelaram-se bastante sólidas!

Com tudo isso, conseguimos apresentar listas a:

  • União das freguesias de Arcos de Valdevez (Salvador), Vila Fonche e Parada
  • União das freguesias de Arcos de Valdevez (São Paio) e Giela
  • Rio de Moinhos
  • Sistelo
  • Paçô
  • Aboim das Choças
  • Gondoriz
  • Vale
  • Oliveira
  • Cabana Maior
  • União das freguesias de Távora (Santa Maria e São Vicente)
  • Sabadim

Além, claro da Câmara Municipal e Assembleia Municipal!

Quanto a mim, serei candidato à Assembleia de Freguesia da União das freguesias de Távora (Santa Maria e São Vicente). Sei que será difícil, para qualquer um, substituir a junta de freguesia de Távora Santa Maria, que não se apresentará a votos, que eram trabalhadores e dedicados à freguesia.

Será ainda mais complicado, porque, fruto da união das juntas de freguesia, o Presidente da Junta será agora de Santa Maria e São Vicente.

Devido á situação financeira da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, também haverá que ser capaz de, contendo despesas, aceder ás necessidades das populações das duas freguesias. Outros dirão que não se pode fazer nada porque a câmara não dá… eu direi que serão encontradas as soluções adequadas. Os grande presidentes aparecem nas situações mais difíceis!

Para já, vamos fazer uma campanha pela positiva e, dia 29 de Setembro, seja o que Deus quiser!

AA