Assembleia Municipal 27/12 – Declarações de interesse municipal e Medicinas Tradicionais

1349747Nesta reunião da Assembleia Municipal, a câmara propôs a declaração de interesse público de três projectos de investimento, com o intuito de desafectar áreas cujos condicionantes do PDM não permitem a instalação dos respectivos equipamentos.

Os projectos, um hotel rural, um museu do linho e a instalação de um parque eólico foram-nos apresentados sem indicação da localização, nem em que freguesias do concelho era indicado, das áreas a desafectar, etc. Informações essenciais para podermos fazer uma avaliação consciente da decisão a tomar.

Na apresentação feita pelo Sr. Presidente da câmara, ficamos a saber que o hotel rural se localizaria no Mezio, uma área sensível por várias razões, o museu do linho em Rio de Moinhos e o parque eólico na zona de Padroso.

Na nossa intervenção, referimos que não tínhamos informação suficiente para tomar uma decisão consciente e, o CDS-PP até teria todo o gosto de apoiar os projectos, mas queríamos fazê-lo de uma forma responsável e consciente. São demais os projectos “PIN” do governo do PS que mais não fizeram do que destruir zonas de importância ecológica e turística em favor de alguns interesses que pouco retorno trouxeram ao país.

O Sr. Presidente da Junta de Soajo, fez uma intervenção em favor do hotel rural, referindo que podia-se consultar o projecto na Junta de Freguesia de Soajo e que este envolvia apenas construções em madeira, não previa a movimentação de terras e teria uma piscina interior. Ficamos com dúvidas como se construía uma piscina sem movimentação de terras, mas depois teremos oportunidade de consultar o referido projecto.

O Sr. Presidente da Câmara respondeu que nesta altura não havia projectos, apenas o interesse de realizar os investimentos e por isso não podia dar mais informações. Nesta altura eu fiz um sinal no sentido que foi o Presidente da Junta de Soajo que disse que havia projecto e o Sr. Presidente da Câmara exaltou-se, tendo uma atitude pouco condizente com o cargo que ocupa, referindo que eu deveria saber ocupar o meu lugar, que ele é que tinha o dever de licenciar e que eu não passava de um deputado municipal sem importância. Não terão sido estes os termos exactos, mas foi isto que quis dizer, num tom de voz muitíssimo agressivo.

Relativamente ao que referiu relativamente aos projectos, claramente não disse a verdade, pois o Presidente da Junta de Soajo disse que poderíamos consultar o projecto quando quiséssemos e no despacho que solicita o interesse municipal é referido que o Turismo de Portugal já deu parecer positivo ao referido projecto.

Não entendemos a razão de não nos terem facultado a informação essencial para decidirmos responsavelmente. Talvez para nos criarem dificuldades e acusarem de não apoiarmos as incitavas privadas pois sabem à priori que não votamos às cegas as propostas. Sabem que fazemos o trabalho de casa e analisamos as propostas detalhadamente.

Sabemos que os arcuenses já não se deixam enganar por estas manobras e por isso não caímos na irresponsabilidade de votar propostas só para parecer bem. Teríamos todo o gosto de as votar, se tivéssemos a informação essencial, assim, seguimos os nossos valores e abstivemo-nos.

O último ponto da ordem de trabalhos era uma recomendação proposta pelo deputado do PSD Manuel Branco, para entregar à Assembleia da Republica, Presidente da Republica sobre a regulamentação da prática de medicinas alternativas.

Sou sincero, que tentei ler a proposta e não percebi qual a intenção. Acho que as únicas coisas que percebi, também depois da apresentação pelo mesmo, é que as pessoas tem o direito de escolha e estas medicinas devem ser comparticipadas. Se com a primeira parte concordo plenamente, com a segunda, claro que não.

A Biologia e a Medicina percorreram um longo caminho, ainda não têm sucessos em todos os campos, mas tem enormes sucessos. Se por um lado, as pessoas devem ter liberdade de escolha, por outro o estado não deve incentivar tratamentos de resultados duvidosos. O Sr. deputado apresentou muitos estudos científicos, feitos através de entrevistas por telefone… Uma pessoa toma um chã e é agradável, mas não cura uma pneumonia nem um tumor! Gostava de saber se o Sr. Deputado não vacinou os filhos e não lhes á antibióticos… (não sei se tem filhos), se lhes dá medicamentos homeopáticos.

O exemplo desta mania das medicinas tradicionais foi a morte do mediático Steve Jobs. Depois de ter sido diagnosticado um tumor no pâncreas, normalmente fatal, a variante que tinha, era curável. Resolveu tratar-se por métodos naturais… quando percebeu que não resultava foi operado, tarde demais. Entretanto o tumor tinha metastizado e conhecemos o resultado.

Quando estamos a falar da saúde das pessoas, é necessário ter cuidado com o que dizemos. Existem fortunas feitas à custa da ignorância e inocência das pessoas… desde as famosas pulseiras que descarregavam a electricidade do corpo….

AA

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s